[Resenha] Hamnet

10/20/2021


Livro: Hamnet
Autor: Maggie O'Farrell
Editora: Intrínseca
Páginas: 380
Ano: 2021
Comprar: Físico


No livro "Hamnet" a autora traz a sua versão sobre a história de Skakespeare, pouco se sabe sobre sua verdadeira história, sobre seu passado e muitas sãos as teorias e foi pensando nisso que Maggie O'Farrell decidiu escrever Hamnet, contando a história da Agnes vista como uma pessoa diferente por ser ligada com a natureza, ela conseguia curar as pessoas com suas ervas e banhos, além de prever o futuro.  
Agnes conheceu seu marido quando ele ia na fazenda que ela morava para ensinar aos seus irmãos, alguns anos mais novo que ela, ela acabou engravidando, se casaram e ela foi morar com na casa dos pais dele. 

"Como é fácil... deixar passar despercebidas a dor e a angústia de uma pessoa, se esta fica calada, se guarda tudo para si, como uma garrafa muito bem tampada, a pressão no interior crescendo e crescendo até... o quê?"

O casal tiveram três filhos, porém Agnes percebia que seu marido não era feliz e o incentiva a ir para Londres, escrever suas peças de teatro. Enquanto ela ficaria em sua cidade com as crianças. É com esse contexto que iremos conhecendo a história desse casal e de consequentemente a história de Hamnet.
Os capítulos são intercalados entre o presente, contando sobre o momento em que o jovem Hamnet está vivendo e posteriormente sobre como a vida daquela família ficou após o contagio de peste, tudo isso intercalado com o passado, contando a história de Agnes.

"Quem... descreve o ato de morrer como "fazer a passagem" ou "ir em paz" jamais o testemunhou. A morte é violenta. A morte é uma luta. O corpo se agarra à vida, como hera a um muro, e não a larga com facilidade, não desapega sem lutar."

É uma obra emocionante, passada no século XVI, onde viveremos a dor de uma mãe ao perder um filho de 11 anos, mas também uma história de superação. Temas como luto, perda, morte, família, amor são bastante explorados durante a leitura.
Não nego que me emocionei em diversas partes, mas também tive raiva em alguns momentos, porque é bem difícil uma mulher do século XXI aceitar algumas atitudes de séculos passados. É uma obra que vale a pena a leitura.  

Sinopse: Poucas informações sobre a biografia de William Shakespeare resistiram ao tempo. Filho de um luveiro caído em desgraça em Stratford-upon-Avon, uma pequena cidade da Inglaterra, ele se casou com uma mulher mais velha, detentora de um generoso dote. Apesar de duradouro, o matrimônio foi marcado pela distância imposta por seu trabalho e pela morte precoce de um filho, ocorrida em uma época em que a Europa era acometida por surtos de peste bubônica.Com base nessas e outras referências históricas, Maggie O'Farrel cria a trama protagonizada por Agnes, uma mulher excêntrica e selvagem, que tinha o hábito de caminhar pela propriedade da família com seu falcão pousado na luva, além de possuir dons extraordinários como prever o futuro, ler pessoas e curá-las fazebdo uso de poções e plantas. Após o casamento com um professor de latim, ela se tornou uma mãe superprotetora e a força centrífuga na vida do marido, que seguiu pra Londres, onde consolidava sua carreira como dramaturgo.[...]
Narrando com intimidade a vida doméstica do século XVI, a autora avança e retrocede no tempo para recontar a paixão e inicio do casamento de Agnes, enquanto constrói aos poucos a tensão em torno da perda anunciada. [...]
A partir daí, Maggie O'Farrel nos conduz por um retrato brilhante de um casamento e pelo sensível luto da perda. Uma reconstituição ficcional, delicada e inesquecível, da vida de um menino esquecido pela história, mas cujo nome inspira o título de uma das peças mais celebradas de todos os tempos. Hamnet é uma leitura encantadora, que nos arrebata e é impossível de largar.



0 comentários

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!